19 de out de 2016

Deusa do Signo de Escorpião

 Deusa Lilith deusa do signo de escorpião


 

Corresponde à Lilith, a construtora e destruidora, deusa que foi jogada do panteão hebraico e que é considerada a primeira feminista. Lilith era a deusa suméria da tempestade e diz-se que, na origem, os hebreus a transformaram na primeira mulher de Adão. Lhe interessava sentir prazer e gozar, mas sem submeter-se. É a deusa do poder e liberdade nas culturas antigas da Suméria e Babilônia. Sua energia é muito animal, muito sexual, intensa, desafiadora e assertiva. Suas cores são o vermelho, preto, azul profundo, cinza e verde escuro. Lilith nos convida a dizer não com grande coragem.
Frase: “A origem da divindade vive em mim.”

  A historia de Lilith


LILITH A DEUSA DA NOITE

 

   Alguns não sabem quem foi, pessoas falam mentiras sobre ela, seu nome é citado em todas as religiões , vamos tentar falar um pouco sobre Lilith.
Lilith foi originalmente a rainha do céus sumeriana, uma deusa mais antiga que Inanna. Os hebreus incorporaram essa deusa e a transformaram na primeira esposa de Adão, que se recusou a deitar-se debaixo dele durante o ato sexual. Ela insistia que, por terem sido criados iguais, eles deveriam fazer sexo de igual para igual. Como Adão não concordou, ela o deixou. Depois disso, na mitologia judaica, ela era descrita como um demônio.É uma figura pouco conhecida, seu primeiro retrato conhecido data de 1950 a. C., é um relevo de terracota de Brunei que se encontra no museu Britânico.
Nele aparece uma bela mulher, alada e nua com os pés de ave, acima de leões e tem uma coruja de cada lado.
Lilith representa nesta trindade a Alma, o poder mental e a sabedoria feminina, intuição, liberdade…
Pelas qualidades natas desta Deusa, Lilith se corresponde com a posição ocupada por Deus na Santíssima Trindade e com o Anjo Lúcifer na Trindade Andrógina.

Trata-se de um ser ambivalente, mesmo pelo nome que a identifica com a coruja, um animal noturno e de rapina, que as lendas rabínicas atribuem à Rainha por excelência da BruxariaA origem de Lilith apresenta-se através da mitologia babilônica, com versões diferentes do seu nascimento. O nome Lilith vem da Mesopotâmia, encontrado nas civilizações sumeriana, acadiana e babilônica, onde há várias divindades nas quais ocorre o fragmento lil, como, por exemplo, os deuses Nilil, Enlil, entre outros.
Belit-ili, Lillake, a Cananéia Baalat, a divina senhora, são alguns de seus nomes. Nas representações mais antigas de Lilith, ela aparece como Lillake (cidade de Ur, 2000 a.C). Lilith está intrinsecamente associada à coruja, sendo representada como uma mulher sedutora, torneada, de seios bem formados e suculentos, uma yoni (vagina) que exala o perfume do amor, com pés de coruja e asas.

A figura de Lilith representa um aspecto da Grande Deusa.
Lilith foi originalmente a Rainha do Céu Sumeriana, uma deusa mais antiga que Inana.
Também é conhecida coma A Lua Negra.
A mitologia judaica posteriormente colocou-a em domínios mais obscuros, como um demônio (feminino) do mal.O nome de Lilith tem duas interpretações: "mulher da noite" ou "lilu" (lótus), a Flor-Yôni da Grande Mãe, portal da união dos sexos. A figura de Lilith está relacionada à Deusa Mãe, venerada pelas tribos agrícolas pré-históricas que resistiam às invasões dos grupos nômades.
Na literatura hebraica, ela é a primeira mulher de Adão. Ao que tudo indica para a cabala (Zohar), o deus judaico criou Lilith e Adão como gêmeos. Ela queria igualdade para com ele, mas lhe foi negada. Ela não se subordina a Adão, e, conseqüentemente, incorre na ira do deus. Foge para o Mar Vermelho e, com Samael, cria uma infinidade de seres demoníacos, que juram atacar a raça humana (fruto da união de Adão e Eva). Uma lenda islâmica atribui a ela a origem dos djinn (gênios), seres de fogo que vivem nos espaços entre mundos.Não se sabe com certeza de que forma a linda Lilith, a primeira companheira de Adão, foi banida da versão Bíblica da Igreja. Mas indo às Escrituras Hebráicas poderemos encontrá-la como uma Mulher feita de pó negro e excrementos, portanto, condenada a ser inferior. No fundo Lilith já fora criada como um demônio, tendo gerado juntamente com Adão, outros seres iguais a ela, que se vingam contra a humanidade. Essa natureza satânica é, por assim dizer, uma advertência do que a cultura rabínica e patriarcal nos faz com relação aquela que perturbou a noite toda de sono de Adão: Lilith feita de sangue(menstruação) e saliva(desejo) é a expressão da fatalidade. Neste ponto, Lilith é amis fiel ao protótipo da Mulher do que a submissa Eva. Embora ambas tenham sido veículo do pecado. Só que a recusa ao desejo, ao sonho erótico que subtraiu a porção divina de Adão, chega com Lilith, a extremos surpreendentes após a separação deste casal.
Encarnando o feminino negativo, Lilith transfigura-se posteriormente, em inúmeras Deusas Lunares(Ihstar, Astarte, Ísis, Cibele, Hécate…) arquétipos das forças incontroláveis do submundo – A Lua Negra. Até ser personificada pela Bruxa, na Idade Média, contra a qual o Homem moveu uma das mais sangrentas perseguições de toda a sua história.De acordo com certas interpretações da criação humana em Gênesis, no Antigo Testamento, reconhecendo que havia sido criada por Deus com a mesma matéria prima, Na modernidade, isso levou a popularização da noção de que Lilith foi a primeira mulher a rebelar-se contra o sistema patriarcal.

Assim dizia Lilith: ‘‘Por que devo deitar-me embaixo de ti? Por que devo abrir-me sob teu corpo? Por que ser dominada por ti? Contudo, eu também fui feita de pó e por isso sou tua igual.’’

A condição estava estabelecida e não havia retorno. Vendo que o companheiro não atendia seus apelos, que não lhe daria a condição de igualdade, Lilith se revolta, pronuncia nervosamente o nome de Deus, faz acusações a Adão e vai embora; é o momento em que o Sol se põe e a noite começa a descer seu manto de escuridão noturna, tal como na ocasião em que Deus fez vir ao mundo os demônios.  Três anjos foram enviados em seu encalço, porém ela se recusou a voltar. Juntou-se aos anjos caídos onde se casou com Samael que tentou Eva ao passo que Lilith Tentou a Adão os fazendo cometer adultério. Desde então o homem foi expulso do paraíso criado pela religião católica e Lilith tentaria destruir a humanidade, filhos do adultério de Adão com Eva, pois mesmo abandonando seu marido ela não aceitava sua segunda mulher. Ela então perseguiria os homens, principalmente os adúlteros, crianças e recém casados para se vingar.Após os hebreus terem deixado a Babilônia Lilith perdeu aos poucos sua representatividade e foi eliminada do velho testamento. Eva é criada no sexto dia, e depois da solidão de Adão ela é criada novamente, sendo a primeira criação referente na verdade a Lilith no Gênesis.

No período medieval ela era ainda muito citada entre as superstições de camponeses, como deixar um amuleto com o nome dos 3 anjos que a perseguiram para fora do Éden, Sanvi, Sansavi e Samangelaf para que ela não o matasse, assim como acordar o marido que sorrisse durante o sono, pois ele estaria sendo seduzido por Lilith.

A imagem de Lilith, sob o nome Lilitu, apareceu primeiramente representando uma categoria de demônios ou espíritos de ventos e tormentas na Suméria por volta de 3000 A.C. Muitos estudiosos atribuem a origem do nome fonético Lilith por volta de 700 A.C.Ela é também associada a um demônio feminino da noite que originou na antiga Mesopotâmia. Era associada ao vento e, pensava-se, por isso, que ela era portadora de mal-estares, doenças e mesmo da morte. Porém algumas vezes ela se utilizaria da água como uma espécie de portal para o seu mundo.

Na Suméria e na Babilônia ela, ao mesmo tempo que era cultuada era identificada com os demônios e espíritos malignos. Seu símbolo era a lua, pois assim como a lua ela seria uma deusa de fases boas e ruins. Alguns estudiosos assimilam ela a várias deusas da fertilidade, assim como deusas cruéis devido ao sincretismo com outras culturas. A imagem mais conhecida que temos dela é a imagem que nos foi dada pela cultura hebraica, uma vez que esse povo foi aprisionado e reduzido à servidão na Babilônia, onde Lilith era cultuada, é bem provável que viam Lilith como um símbolo de algo negativo. Vemos assim a transformação de Lilith no modelo hebraico de demônio.

Há certas particularidades interessantes nos ataques de Lilith, como o aberto esmagador sobre o peito, uma vingança por ter sido obrigada a ficar por baixo de Adão, e sua habilidade de cortar o pênis com a vagina segundo os relatos católicos medievais. Ao mesmo tempo que ela representa a liberdade sexual feminina, também representa a castração masculina.Algumas vezes Lilith é associada com a deusa grega Hécate, "A mulher escarlate", um demônio que guarda as portas do inferno montada em um enorme cão de três cabeças, Cérbero. Hécate, assim como Lilith, representa na cultura grega a vida noturna e a rebeldia da mulher sobre o homem.

Nos dois últimos séculos a imagem de Lilith começou a passar por uma notável transformação em certos círculos intelectuais seculares europeus, por exemplo, na literatura e nas artes, quando os românticos passaram a se ater mais a imagem sensual e sedutora de Lilith

Lilith também é considerda um símbolo da vaidade.

Lilith encontra-se amplamente retratada nas lendas e mitologias hebraicas, tendo sido na antiguidade um dos mais temidos anjos negros. Certas mitologias dizem também que verdadeiro o motivo que levou Lilith a abandonar o paraíso foi ter-se apaixonado por Samael, o anjo da morte. Samael deu-lhe a conhecer o prazer de Adão não era capaz de oferecer. Lilith, enquanto um ser feminino de grande luxúria, apaixonou-se irremediavelmente pelo anjo. Em troca das relações sexuais, o anjo deu a Lilith não só o nome secreto de Deus, como também toda a sabedoria mística e magica.

Outras mitologias apontam Lilith com a esposa de Samael, aquele que é o anjo da morte. Samael encontra-se referido indirectamente na Bíblia, no II Livro de Samuel, sendo que o seu nome significa «a ira de Deus», ou o «veneno de Deus».

Consta em certas tradições místicas hebraicas, que Deus aceitou o casamento entre Lilith e Samael, sendo que em virtude desse matrimónio, transformou Lilith, ( a primeira mulher criada por Deus), de mera humana mortal em anjo caído e imortal.

Contudo, Deus castrou o anjo Samael como forma de eterna punição pela transgressão de ambos, porquanto Lilth era humana quando Samael a possuiu, e as relações carnais e amorosas entre anjos e mulheres são proibidas pela Lei de Deus – veja-se que segundo o livro de Enoch, o dilúvio sucedeu porque um grupo de 200 anjos desertou do céu e casou com mulheres, possuindo-as e tendo com elas filhos que povoaram a terra, aqueles chamados de nefilins. Segundo a etimologia judaica vulgar, o nome Lilith deriva de «Layil», que significa «noite». O mesmo nome, de acordo com as tradições assírio -babilónicas, significa «demónio feminino» ou «espírito dos ventos». Na antiguidade, Lilith foi igualmente associada ás deusas lunares, e consequentemente tanto ao mundo dos espíritos ou dos mortos, como ao mais temível poder da magia negra.

Mas existem muitas outras histórias sobre Lilith. Dizem que ela significa a outra ou o outro num triângulo amoroso. Para os assírios, era considerada um anjo negro.



Mas nada é definitivo, e nunca é tarde para aprender. A falta de harmonia que Lilith traz também tem um propósito: o desapego e a impessoalidade. É onde você pode usar a sua força mágica de maneira impessoal, tornando-se criativo, descobrindo seus próprios recursos e talentos, ao invés de outros substitutos para isto.

Lilith pode ter sido retirada da Bíblia durante o Concílio de Trento, a interesse da Igreja Católica, para reforçar o papel das mulheres como devendo ser submissas, e não iguais, ao homem. Porém muitas pinturas e esculturas a retratam como a serpente que tentou Eva a comer o pomo do conhecimento.

Nas bíblias atuais seu nome aparece uma única vez, em Isaías 34:14: "E as feras do deserto se encontrarão com hienas; e o sátiro clamará ao seu companheiro; e Lilith pousará ali, e achará lugar de repouso para si." Nas traduções recentes da Bíblia a palavra Lilite é substituída por demônio ou bruxa do deserto.
Lilith (ou Lilit) é um demónio feminino da mitologia Babilónica que habitava lugares desertos. Esta é referida em diversos textos antigos sendo o mais notável o Antigo Testamento.

Lilith é também referida na Cabala como a primeira mulher do bíblico Adão, sendo que em uma passagem (Patai81:455f) ela é acusada de ser a serpente que levou Eva a comer o fruto proibido. Esta afirmação, no entanto, surge apenas, pela primeira vez, no Talmude Babilónico composto por volta do Século VI, sendo que nunca antes havido existido esta conexão a Adão e Eva nem tão pouco à Criação.

Mais recentemente, esta história, tem sido cada vez mais adaptada sendo até discutida se é ou não contada na Bíblia.

Vivenciar a fase Lilith ou lua negra é vivenciar emocionalmente todos estes conflitos Confusão mental,frustração,rebeldia são comuns nesta fase em que visitamos o inferno simbólico de nossa psique.O importante é reconhecê-lo e assimilar o que for de importância para um novo plantio na lua nova.

Nenhum comentário :

Postar um comentário